Saiba como identificar e se proteger das principais ameaças virtuais.


Nossos especialistas apontam que, além do e-mail, os cibercriminosos tendem a usar, cada vez mais, redes sociais e aplicativos móveis para disseminar ataques.

A metodologia mais empregada para realizar ataques à segurança da informação é a Engenharia Social, que consiste na manipulação psicológica para persuadir o usuário a, voluntariamente, divulgar informações ou realizar algum ato que ponha em risco seu próprio sistema. Na maioria das vezes, esse tipo de golpe usa um e-mail com informações falsas que chamem a atenção das pessoas em geral, como: multas de trânsito, nomes de conhecidos, noticias relevantes, etc.

O objetivo é despertar a curiosidade e incentivar as pessoas a entrarem em links maliciosos ou a divulgarem dados relevantes.

Outra tendência no cibercrime é usar as redes sociais, em especial o Facebook, para propagar ameaças, assim como os aplicativos para dispositivos móveis. Como exemplo, é cada vez mais comum encontrar campanhas maliciosas que utilizam o WhatsApp para disseminar crimes virtuais.

Listamos abaixos três questões que os usuários devem levar em conta para reconhecer um crime virtual:

1 - Seja por meio de mensagens de texto, e-mails ou páginas da internet, é importante lembrar que os criminosos virtuais se aproveitam de notícias de grande repercussão, fatalidades e conteúdos atraentes para ganhar a confiança dos usuários. Quanto mais confiáveis esses remetentes parecem, maior a possibilidade de enganarem as pessoas para que cliquem em links maliciosos ou compartilhem informações pessoais e bancárias.

2 - Nunca uma instituição financeira ou qualquer outra grande corporação pede uma atualização de dados pessoais e bancários por e-mail. Caso receba uma mensagem e fique em dúvida, entre em contato com a entidade por telefone. Se a mensagem de e-mail foi enviada por um remetente desconhecido anunciando um grande prêmio para um concurso do qual não participou, é altamente provável que seja algum tipo de golpe virtual.

3 - Além de identificar uma ameaça, os usuários devem, também, saber como proteger-se delas.

Para isso, precisam tomar cuidado ao acessar links durante a navegação na internet; lembrar que as informações pessoais e bancárias são preciosas e, portanto, devem ser inseridas apenas eventualmente na internet; fazer download apenas de aplicativos e sistemas obtidos em sites oficiais; ser cuidadoso com as informações sobre dados pessoais e rotinas que compartilha nas redes sociais.

Além de adotar comportamentos adequados, as pessoas precisam também instalar em todos os equipamentos que acessam a internet, seja o computador ou um dispositivo móvel, uma solução de segurança da informação proativa e mantê-la constantemente atualizada.

Fale conosco: contatofr.eti.br.

#identificar #proteger #soluções #antivirus

Top Posts
Posts Recentes